TOPO

Minha Eurotrip: Amsterdã

Follow my blog with Bloglovin

E eis que começamos a saga de posts da minha já saudosa Euro Trip 2016.

Fizemos essa viagem em dois casais, por 11 cidades da Europa, totalizando 8 países, 4.800km de carro, em 26 dias. Coisa para caramba né? E cá entre nós uma seleção perfeita de lugares para conhecer, acho que irão concordar comigo a cada novo post, rs.

Já pretendia fazer um post sobre a viagem, mas a quantidade de informação de cada lugar não caberia em apenas uma postagem. Então resolvi fazer um post sobre cada cidade, com informações do que vi, do que gostei e desgostei, o que indico e não indico. Sei que muitas pessoas fazem posts de viagens, mas decidi fazer um pouco diferente. Falarei sobre o que eu fiz, e deixarei em opcional as coisas que vocês podem fazer caso fiquem mais ou menos tempo.

E como toda viagem tem um começo, começamos por Amsterdã. O tempo que ficamos lá foram 3 dias e 4 noites. E agora senta que lá vem história e surra de fotos !

Começo dizendo que não darei aqui as dicas de hospedagens e a locomoção de uma cidade para outra, farei isso à parte, assim fica mais detalhadinho para você que está querendo fazer sua primeira viagem poder encontrar dicas mais precisas.

Dito isto, continuemos…

Tenho que dizer que quando colocamos Amsterdã no roteiro foi apenas para cumprir pendência. Não tinha muito interesse em conhecê-la, não pela beleza, mas pela idéia de desorganização e bagunça que a cidade me passava por tudo que eu lia. E não é que levei um belo tapa na cara? Ela não só é organizada como muito bem limpa. De todos os lugares que visitamos é a maior surpresa boa que tivemos, sem sombra de dúvidas.

Nosso roteiro na cidade foram de 3 dias muito bem aproveitados para o que estávamos interessados em conhecer, o principal.
Outra coisa que irão nota, pois fizemos uma viagem de dias enxutos em cada local, para conhecermos as principais atrações.

Observação importante: Para obter info de preços e endereço clique nos nomes das atrações em vermelho logo abaixo das imagens, o que não tiver é porque não possui.

Dia 1

Começamos nosso turismo andando pelas ruas de Amsterdã, o canal que a corta de ponta a ponta, chamado de Prinsengracht, é uma graça e uma atração por si só, a cada ponte que você passa, se torna irresistível não tirar uma foto.

Amsterdã 1

Prinsengracht

 

Passamos pelo museu do sexo, mas não entramos, porque amigos que foram disseram que era ok, e o preço caro para o que ele fornecia. Mas se a sua pegada é curtição, acredito que valha a pena, porque só a entrada é uma diversão!

Amsterdã museu do sexo

Museu do sexo

Depois fomos conhecer o museu nacional – Rijksmuseum – que é famoso pelo letreiro “ I S2 Amsterdam” que é impossível de tirar uma foto sozinho, mas que além disso possui um acervo bem interessante de esculturas e quadros, uma biblioteca de fazer o coraçãozinho dos amantes de livro pirar eu!, sendo considerado o maior dos Países Baixos. A única coisa que não vale é o preço. É bem salgado pelo que oferece, sendo mais caro que o Louvre, que é o segundo maior museu do mundo.
Então se você já foi ao Louvre, ou irá na mesma viagem, aconselho a não gastar esse dinheiro aqui, procurando algum outro museu ou atração na cidade que possa lhe agradar mais, até mesmo o Museu do Sexo, que se eu soubesse teria ido para me divertir e gastando bem menos.

Amsterdã museu nacional

Amsterdã museu nacional – Rijksmuseum

E claro que visitando Amsterdã não poderíamos deixar passar aquela visita básica ao banco onde foi filmado “A Culpa é das Estrelas”, não é mesmo?

Amsterdã banco

Endereço: Canal Leidsegracht, número 4

Terminamos o dia no Heineken Experience, que apesar de não ser uma das minhas cervejas favoritas (ouso dizer que nem gosto, rsrs) a “experiência” que eles fizeram com uma antiga fábrica é muito legal! Você pode fazer fotos divertidas, ser DJ por um dia, visitar áreas com tanques de fermentação e cultivação da cerveja, e no fim de tudo entra num barzinho super trend para degustar algumas tulipas. Vale a pena!

Amsterdã Heineken Experience

Heinekn Experience

Dia 2

No segundo dia fomos conhecer o Vondelpark, é o parque municipal que é fechado, e onde as pessoas vão para tomar café, fazer piqueniques, correr, andar de bicicleta e até fazer fotos de casamento vimos lá e postei no Snap, você viu?. É lindo demais gente! E fomos na primavera exatamente para ver as flores por toda a Europa, o que não acabou acontecendo muito bem porque o clima ficou louco enquanto estávamos lá e passamos por muito frio, neve e chuva diferente do prometido, rs, mas pelo menos em Amsterdã, o inicio da viagem, tivemos a benção divina de conseguir dias bonitos e flores lindas abertas nos campos, e o Vondelpark não deixou para menos. Vale conhecer pela beleza e também para dar aquela parada estratégica para descansar das andanças.

Amsterdã VOndelpark

Vondelpark

De lá fizemos uma parada num pub para beber umas cervejas e nos alimentarmos. Nem vale indicar aqui um pub específico, porque acredite, você encontrará um muito bom a cada esquina, mas a dica que eu dou é: peça sempre as draught beers, que são as cervejas da casa ou local, vale a pena experimentar cervejas que nunca encontrará no Brasil.

Dia 3

No último dia almoçamos numa feirinha com parque de diversões que estava rolando na Dam Square e de lá fomos enfrentar a pequena grande fila para o museu da Anne Frank, por isso indico tentar passar no final do seu turismo no dia anterior para comprar o ingresso ou comprar on line que é vendido para o dia posterior, porém você tem que imprimir o ticket, o que acaba sendo complicado.
Não pode tirar fotos dentro do museu, mas com toda certeza vale a pena conhecer o espaço onde uma grande família de judeus e amigos viveram por tanto tempo se escondendo. O espaço é ridiculamente pequeno e com bastante história para contar.

Amsterdã - Anne Frank

Casa de Anne Frank / Anne Frank Huis

E por último, mas não menos importante, conhecemos o Red Light District (De Wallen), o famoso e famigerado bairro onde se encontram as famosas vitrines com prostitutas se expondo para oferecer os seus serviços, porque em toda Holanda a prostituição é legalizada, com direitos trabalhistas e tudo que se tem direito.
Eu achei bastante divertido, e meio bizarro o quão eles acham isso normal lá. Viemos de um país onde existe  restrições e uma cultura bem pesada sobre proibição à esse tipo de serviço que ficamos meio chocados de aceitar, assim como a droga legalizada também.

É engraçado que por todo o bairro se vê cafeterias onde famílias com crianças estão sentadas tomando um cafezinho, enquanto ao lado tem uma vitrine com uma mulher de lingerie tentando chamar a atenção do povo que passa, rs.
O bairro não possui apenas as vitrines, como também casas noturnas com shows de strip tease, cabines para assistir shows privados, para assistir filmes pornôs e por aí vai. É o lugar mais movimentado de toda Amsterdã, sem sombra de dúvidas.

É terminantemente proibido tirar fotos das vitrines, das casas de shows, das ruas do bairro, existem seguranças espalhados em todo o percurso, e se você tentar pode correr o risco de perder sua câmera ou celular, e as prostitutas também se rebelam, batendo nos vidros e xingando a torto e a direito até um segurança se aproximar para dar um chega para lá no engraçadinho que tentou.
Eu consegui tirar uma foto da ponta da entrada, que não é proibido, mas ainda assim arriscado, apenas para tentar mostrar a dimensão e como as coisas são mais ou menos.

Amsterdã Distrito vermelho

Red Light District / De Wallen

Achei a cidade muito organizada, limpa e bonita. Possui internet wi fi em tudo que é lugar e liberado, até nos ônibus! (pasmem!) Então não precisa se preocupar sobre conseguir ou não postar suas aventuras, isso é garantido. O ponto que pode ser um pouco negativo, para quem tem problemas com cheiros, é que por ter a maconha legalizada, o cheiro parece que está entranhado em toda a cidade. Até nos museus que entramos tinha gente fumando, bem louco!
Sinceramente achei que ia incomodar mais, só que acabou sendo relevante diante de tanta coisa boa que tem lá.

De maneira geral, fizemos um turismo muito tranqüilo, não estávamos com desespero de conhecer muitos museus, que sei que Amsterdã possui, mas quisemos focar naquelas coisas que as pessoas realmente nos indicavam à fazer, e que entendemos como principal.

E a dica de ouro que dou é: não use transporte para fazer seus trajetos, a cidade pode e deve ser feita inteira a pé! Fora ser tudo muito pertinho, estando a pé você pode aproveitar para tirar lindas fotos do canal espalhado por toda cidade e ver paisagens lindas, que só caminhando conseguirá.

Dica extra: Para toda a Euro trip usamos o aplicativo de mapas chamado Here. Ele foi a nossa salvação a viagem inteira! Porque funciona off line e você tem apenas que baixar os mapas dos lugares que você vai antes. Acredito que por você sempre baixa-los para usar, faz com que sejam atualizados com muito mais frequência que os GPS que estamos acostumados, é muito completo e tem referências de pontos turísticos para você ir fazendo sem se desesperar de ter esquecido suas anotações no hotel ou sem um mapa de papel na mão.

Amsterdã final

E aí, gostaram das dicas?

Nos vemos de novo em Brugges! =)

Gostou desse post? Então veja também:

0

Comments

comments

About Caroline Daudt

See all the posts by Caroline Daudt at this link.

Comments

  1. Renata Soares disse:

    Sou louca para conhecer Amsterdam, estou tão perto mas nunca da certo de ir..Adorei as fotos e as dicas…LINDONA GOSTARIA DE DEIXAR AQUI UM CONVITE, PARA VOCÊ PARTICIPAR DE UMA PLATAFORMA PARA BLOGGESRS, MUITO INTERESSANTE ADEMAS DE AJUDAR MUITO NA DIVULGAÇÃO DOS NOSSOS BLOGS, É TOTALMENTE GRATUITA..DÁ UMA OLHADA SI GOSTAR CADASTRA SEU BLOG..BJUSS
    http://WWW.FEEDHI.COM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *